The Handmaid`s Tale no ENEM 2019

Você conhece The Handmaid's Tale? Essa série pode trazer uma boa discussão social e política para o ENEM 2019.

912
the handmaid's tale

Nem só de matérias e resumos vive um vestibulando. Nos últimos anos, devido ao aumento dos serviços de streaming, temos um acervo de séries, clipes, filmes e documentários para consumirmos. E nós, que sempre achamos uma brechinha para te ajudar no ENEM e nos vestibulares, vamos mais uma vez falar sobre entretenimento e vestibular. Afinal, como The Handmaid’s Tale pode te ajudar no ENEM 2019?

Veja algumas séries que vão te ajudar a escolher sua profissão: Direito

The Handmaid’s Tale, ou o Conto da Aia, é uma série inspirada no livro de 1985 da canadense Margaret Atwood, de mesmo nome. A série está em sua terceira temporada, que foi lançada esse ano. The Handmaid’s carrega oito Emmys do Primetime, além do prêmio Programa do Ano e Série Dramática no Television Critics Association. Será que é boa? Separa a pipoca e vamos entrar no universo de Gilead (continua lendo porque vamos falar mais sobre esse “lugar”).

Século XXI, mundo globalizado, sociedade do consumo, geração Y se fazendo presente. Parece com o que vivemos hoje, certo? Mas na série de Atwood, tudo começa  a desandar quando um atentado mata o presidente do Estados Unidos. Junto disso, a diminuição de fertilidade, o aumento da poluição e das taxas de mortalidade infantil, causam um caos no país e desestabiliza toda a sociedade americana.

Podemos observar que nesse contexto, a política americana está sensível e tem sua estrutura realmente abalada. O presidente foi morto, problemas sociais e importantes para o futuro do país se tornam gravíssimos. Como sair desse cenário?

Foi então que um grupo de católicos resolve se colocar diante do seu país e assume o controle, criando a República de Gilead. A República chega com um regime totalitário baseado nas leis do Antigo Testamento e começa a impactar diretamente a vida de todos os cidadãos americanos. Vale lembrar que vivemos em um século onde nem todos tem crenças ou as mesmas crenças, então podemos imaginar como esse regime vai impactar os americanos.

No meio disso tudo, June Osborne (Elisabeth Moss, protagonista e produtora executiva da série), uma mulher heterossexual, casada e com uma filha, independente financeiramente, em meio dos seus 30 e poucos anos, se vê nesse cenário. June, assim como todas as outras mulheres da sociedade da República de Gilead, perde seus direitos e é colocada em um novo papel social: de “aia” ou handmaid.

As aias são mulheres férteis, que são usadas para procriar e garantir o futuro da humanidade, que é uma grande preocupação dos dirigentes da “nova” República.

O que essa série se aplica no ENEM 2019?

Handmaid’s deixa uma tensão no ar, por se tratar de um cenário tão parecido com o nosso atualmente, por mais que tenha sua história criada em 1985.

Vivemos em uma sociedade em que o consumo é cada vez mais prioritário. Além disso, alguns pontos que eram importantes antigamente, estão sendo “deixados de lado” como, por exemplo, a formação da família. Hoje, temos mulheres cada vez mais independentes e sozinhas que não desejam ser mães, mas desejam se dedicar a sua carreira e seu desenvolvimento pessoal. Temos casais que não desejam ter filhos em comum acordo. Presenciamos pessoas vivendo suas vidas em função das redes sociais, o que engloba um universo giganteeesco do quanto isso é preocupante.

Nesse mês de julho, o planeta Terra esgotou suas reservas para o ano de 2019. Isso quer dizer que nós estamos usando recursos naturais que tem grandes chances de não conseguirem se recompor. Estamos falhando como sociedade?

Em Handmaid’s, o cenário político que parecia tão consolidado (assim como o que vivemos hoje), foi desfeito e dominado por outro tipo de governo, com outros princípios e objetivos. Mas, o que isso quer dizer?

Como sabemos que ninguém gosta de spoiler, encerraremos esse post por aqui mas com uma proposta: assista essa série e exercite seu senso crítico. É bem importante analisar essa série e relaciona-la à uma discussão social e política.

Conta pra gente depois lá no nosso Instagram o que acharam 🙂