A física presente no futebol

409
Futebol

Com os campeonatos europeus começando e o Campeonato Brasileiro a todo vapor, o futebol, uma das maiores atrações de entretenimento mundial, sempre provoca sentimentos para aqueles que o acompanham independente do país. Aproveitando esse contexto, vamos imaginar como a física está presente em uma partida de futebol.

Como já foi comentado em nossa matéria sobre leis de Newton, o princípio da inércia se aplica a muitos esportes, pois, segundo Newton: todo corpo que se move tende a manter seu movimento. No futebol, o peso de um jogador interfere diretamente na aceleração dele para execução de um drible (por isso a formula: F = ma), ou seja, quanto mais leve for o jogador, mais rápido será seu drible.

Antes de mostrar como as forças atuam em uma cobrança de falta, é necessário explicar o que é o Efeito Magnus – que recebeu esse nome em homenagem ao físico alemão Heinrich Gustav Magnus. Por sua fez, ele consiste no fenômeno pelo qual a rotação de um objeto altera a sua trajetória.

Nas cobranças de falta, o goleiro posiciona cerca de quatro a cinco jogadores para formar uma barreira que tem a utilidade de proteger um canto do gol enquanto o goleiro cobre o outro lado. Para o jogador que vai bater a falta, é ideal que ele consiga aplicar uma curva na bola, fazendo com que ela acerte o angulo que está sendo protegido pela barreira. Para o cobrador aplicar tal feito, ele utiliza o Efeito Magnus, fazendo com que a bola gire em seu próprio eixo “arrastando” o ar no sentido da sua rotação provocando um aumento da velocidade da bola.

Em penalidades máximas, ou como costumamos chamar, pênaltis, os goleiros se mantém parados na linha do gol e optam por duas decisões para defender um pênalti: agir ou reagir. O goleiro pode agir, tentando adivinhar onde o cobrador irá bater a bola, caso o pegador acerte o canto da cobrança, suas chances de defesas são muito altas. Por outro lado, caso o goleiro tente reagir a uma cobrança, seus reflexos serão testados, já que ele pula após o chute ser cobrado. Nos dois casos é necessário que o goleiro tenha um impulso muito bom, caso contrário, ele não chegará a bola.

— ATENÇÃO QGNIANOS, NÃO SE ESQUEÇAM DAS FORMULAS —

Força:
F = ma

onde:
F = força (medida em N)
m = massa (medida em kg)
a = aceleração (medida em m/s²)

Impulso:
I = Fm . (delta)t

Onde:
I = impulso(medido em kg.m/s ou N.s)
Fm = força média(medida em N)
(delta)t = variação da velocidade(medida em s)

Continue acompanhando nossas dicas e conheça nossos cursos clicando aqui!