A ciência dos circos

Confira aqui alguns exemplos que mostram como a física age em performances circenses.

867
Postado: 14 de janeiro, 2020
circo

Circos são sempre espetaculares, o local onde pessoas treinadas performam números artísticos com o objetivo de entreter e entusiasmar a platéia. De risadas a performances aéreas de fazer cair o queixo, como a física aparece no circo?

  • Leis de Newton

A Segunda Lei consiste na famosa fórmula: Peso = massa x aceleração. Logo, para um acrobata utilizar algum objeto que o permita fazer uma acrobacia aérea, é necessário que o objeto esteja bem preso por um suporte que aguente o peso de uma pessoa.

circo

Normalmente, nessas performances, os acrobatas pulam e seguram nos objetos. No momento em que eles seguram, seu peso aumenta em detrimento da segunda lei de Newton, por isso a necessidade de um suporte que aguente.

  • Lançamento Oblíquo

Em alguns locais no mundo existe o número do “bola de canhão humana” que, como o próprio nome já sugere, consiste em uma pessoa que entra em um canhão e é lançada no ar, caindo sempre em uma tela protetora.

O lançamento oblíquo entra em ação, já que uma pessoa será lançada em uma trajetória parabólica e no momento em que alcançar a altura máxima, o corpo estará sob ação de um movimento retilíneo uniforme e, consequentemente, cairá. O calculo da parábola é extremamente importante para a realização do ato, tendo em vista que o local de aterrizagem deve ser preciso para não afetar o acrobata.

  • Força Centrífuga

Ao fazer performances rotatórias, os acrobatas sofrem ação da força centrífuga. Esta força, é considerada uma pseudoforça, pois, de acordo com a segunda lei de Newton, a força resultante é resultado do produto entre massa e aceleração, mas, a força centrífuga não tem aceleração, por isso é denominada como pseudoforça ou força inercial centrífuga.

Desse modo, uma acrobacia rotatória, como o próprio nome sugere, faz com que o acrobata gire em uma trajetória circular, enquanto a força centrífuga age empurrando-o para fora da trajetória. Por isso, aquele que realiza a acrobacia precisa se prender para não sair voando.

Por fim, esses são alguns exemplos que demonstram que existe ação da física em tudo que fazemos. Em um simples evento cotidiano, como o circo, a física também se mostra presente. Portanto, pegue sua pipoca e escolha seu assento porque o espetáculo já vai começar. E por falar em cultura brasileira e circo, também estará presente no Carnaval 2020. Confira!