Terceira Guerra Mundial?

Entenda as atuais tensões entre Irã e EUA.

1089
terceira guerra mundial

O ano de 2020 começou bem agitado para aqueles que gostam e acompanham geopolítica internacional. As recentes tensões envolvendo os EUA e o Irã movimentaram praticamente todos os canais de notícias ao redor do mundo. Com isso, parte de uma reação/temor popular foi sintetizada na pergunta: poderíamos presenciar uma Terceira Guerra Mundial?

Primeiramente, o que aconteceu? Vamos retornar a 2002, quando após o atentado de 11 de Setembro, o governo estadunidense declara o Irã parte integrante do que foi chamado de “Eixo da Morte”. Essa tensão foi aprofundada em 2006, quando o Irã retoma o processo de enriquecimento de Urânio. O receio dos EUA era a preparação iraniana para uma guerra nuclear.

terceira guerra mundial

No entanto, em 2015, em troca do fim de severas sanções econômicas ao país, o presidente iraniano acata ao Acordo Nuclear, em que se comprometia a realizar diversas imitações a seu projeto nuclear.

O ano de 2018 traria novos ares… Donald Trump, presidente dos EUA, determina que irá reincidir com o Acordo Nuclear sem o aval do Irã. Com isso, as antigas tensões passaram a se tornar novamente realidade, com mais sansões e retaliações dos dois lados. Um drone é abatido em território militar iraniano e Trump nega sua autoria, mesmo com o presidente do Irã o acusando.

De maneira inédita nas relações internacionais, um presidente, Trump no caso, classifica um grupo militar oficial do Irã como terrorista. A Guarda Revolucionária é tida como terrorista pelos EUA e, como veremos a seguir, esse ponto foi crucial para o atual cenário.

Eis que em 03 de janeiro, Donald Trump autoriza um ataque letal ao chefe da Guarda Revolucionária, Qassem Soleimani. No momento do atentado, Trump publicou uma imagem da bandeira estadunidense em sua conta oficial no Twitter. A resposta imediata do Irã foi prometer uma “vingança implacável”.

A tensão estava então pronta. As consequências seguintes do acontecimento foi marcado por declarações de principais líderes mundiais, mantendo uma postura até então não tão parcial, esperando o decorrer da situação. Além disso, a embaixada dos EUA em Bagdá foi vítima de um ataque de grupos xiitas em defesa ao Irã.

No Brasil, o presidente Bolsonaro se pronunciou também de maneira neutra, alertando somente para um possível aumento de preços do barril do petróleo e consequentemente da gasolina. Na região, Trump recomendou a saída do país aos cidadãos estadunidenses e fortaleceu militarmente as fronteiras. Já por parte do Irã, o presidente anunciou a retomada do projeto nuclear de enriquecimento de Urânio.

Enfim, depois disso tudo, estaríamos nós diante de um cenário pré-Terceira Guerra Mundial? Bem, primeiramente, é importante ressaltar que essa ideia é muito drástica para ser debatida no início de tensões mesmo nessa magnitude. A tensão deve sim se acirrar, porém mesmo com as então alianças internacionais do Irã e EUA, essa questão reflete muito mais um temor coletivo do que a realidade da geopolítica.

Acompanhe os próximos passos dessa e diversas outras atualidades em nosso Blog do QG!