Relações ecológicas no ENEM

Saiba quais as relações ecológicas que mais aparecem no ENEM e entenda como elas funcionam.

1876
relações ecológicas

No ENEM e em outros vestibulares, a Ecologia é constantemente abordada e dentre seus temas, as relações ecológicas é um dos assuntos mais cobrados. 

E o que seriam as relações ecológicas? São as interações/relações dos seres vivos em um ecossistema, sendo esses seres de espécies diferentes ou iguais. Essas relações podem apresentar caráter benéfico para os seres envolvidos, ou caráter prejudicial para um deles (ou ambos). 

relações ecológicas

As relações ecológicas podem ser:

  • Intraespecíficas: Intra=Dentro / Específicas=Espécies. Ou seja, relações entre indivíduos da mesma espécie.
  • Interespecíficas: Inter=Fora / Específicas=Espécies. Ou seja, relações entre indivíduos de diferentes espécies. 

E também podem ser classificadas quanto ao seu caráter:

  • Harmônicas: Apresentam caráter benéfico, em que um dos indivíduos pode ser beneficiado enquanto o outro não é prejudicado, ou em que ambos são beneficiados.
  • Desarmônicas: Apresentam caráter prejudicial para um dos indivíduos ou ambos. 

Sabendo desses conceitos, vamos focar nas relações que mais aparecem no ENEM:

 

  • Competição: É uma relação desarmônica que pode ser tanto intraespecífica quanto interespecífica. A intraespecífica ocorre quando dois organismos da mesma espécie competem/disputam, por exemplo, por território, fêmeas ou alimento. A interespecífica ocorre quando dois organismos ocupam o mesmo nicho ecológico (o conjunto de hábitos de uma espécie, o território que ocupa, fonte de alimento, etc), por exemplo, duas espécies diferentes de planta podem disputar por nutrientes ou pela exposição ao sol, etc. Essa relação apresenta caráter prejudicial para ambos indivíduos, porque para que haja disputa por alimento, por exemplo, quer dizer que não há alimentos para todos.

 

 

  • Predatismo: É uma relação desarmônica interespecífica, em que o predador mata a presa para seu consumo; um exemplo de predador seria o leão que se alimenta de mamíferos menores. Uma relação similar a essa é o canibalismo, entretanto ele ocorre entre as mesmas espécies (exemplo: louva-deus fêmea após o acasalamento se alimenta do macho para o desenvolvimento dos filhotes). 

 

 

  • Parasitismo: É uma relação desarmônica interespecífica, em que o parasita não tem intenção de causar o mal ou matar a outra espécie, mas em busca de abrigo ou nutrientes, acabam procurando um hospedeiro para viver dentro dele (endoparasita: lombriga dentro do ser humano) ou sobre ele (ectoparasita: piolho sobre a cabeça do ser humano). É válido ressaltar que o parasitismo nada tem a ver com inquilinismo em que um certo indivíduo utiliza o outro de abrigo, se beneficiando e não prejudicando o outro.

 

Observação: Todas as relações apresentadas acima, apesar de serem denominadas desarmônicas, são extremamente benéficas para os ecossistemas, pois elas são importantes para manutenção das populações. Por exemplo, se em um ambiente uma certa espécie não possui predadores, ela se multiplica muito e de forma acelerada, se tornando uma praga. Os parasitas inclusive, são muito utilizados para fazer o controle biológico de populações. 

 

  • Mutualismo: É uma relação ecológica harmônica interespecífica em que duas espécies diferentes se associam e são dependentes uma da outra. Um exemplo é a relação mutualística entre as zooxantelas (algas) e os corais. Nessa relação, as algas vivem dentro dos corais fazendo fotossíntese e alimentando o coral, enquanto que os corais as protegem e fornecem um abrigo para elas. É um bom exemplo quando pensamos que atualmente as mudanças climáticas estão causando o aquecimento das águas oceânicas, o que faz com que os corais expulsem as zooxantelas e causem um fenômeno muito falado sobre atualmente, o branqueamento de corais, que pode ocasionar a morte de ambos os organismos, já que são dependentes entre si. Semelhante a essa relação é a protocooperação, a diferença é que não há dependência entre os indivíduos, apenas um benefício mútuo. 

 

Eaí? Deu para entender? É bom lembrar que as relações comentadas são as que mais estão presentes no ENEM, mas existem muitas outras e é válido revisar um pouco antes da prova! 

Continue acompanhando nossas dicas, clicando aqui!