Quem foi: Sigmund Freud

3153

Quem foi Sigmund Freud?

Nascido em 6 de maio de 1856, Freud foi um neurologista e psiquiatra austríaco que desenvolveu a Psicanálise, método utilizado até hoje por profissionais de Psicologia e Psiquiatria. A Psicanálise analisa questões que estão no inconsciente do paciente a partir de conflitos baseados em associações livre, sonhos e fantasias do paciente. Suas teorias sobre sexualidade infantil, libido e ego, entre outros tópicos, influenciaram os conceitos acadêmicos, principalmente no século XX.

Enquanto estudante de Medicina na Universidade de Viena, Freud estudou neurobiologia, explorando o tecido nervoso e o cérebro de humanos e animais. Ele se dedicou em entender o conhecimento humano e suas experiências de vida.

Suas teorias sempre foram baseadas em traumas pessoais que ocorreram no passado do paciente. Freud acredita que as situações acontecem e que são esquecidas e escondidas pela consciência. Em seus tratamentos, o profissional trazia de volta para a consciência a experiência vivida no passado. Dessa forma, havia um confronto entre a intelectualidade e o emocional.

Sigmund Freud

Suas principais teorias se desenvolvem a partir dos seguintes aspectos:

Id, ego e superego: para ele, essas são as partes essenciais da personalidade humanas. Id é o inconsciente primitivo, impulsivo e irracional que opera exclusivamente no prazer ou na dor e é responsável por instintos como sexo e agressividade. O ego é o “eu” da pessoa, que avalia o mundo psíquico e social. O superego é a voz moral e consciente do ego. Para Freud, o superego é formado nos primeiros cinco anos de vida, baseado nos padrões de moral vindo dos pais do indivíduo.

Energia psíquica: para Freud, a Id é a fonte básica da energia psíquica ou a força que guia todos os processos mentais. Ele acredita que a libido ou os impulsos sexuais guiam todas as ações humanas.

Análise dos sonhos: o sonho para Freud só tem uma razão: saber lidar com os problemas que o consciente não sabe. Ele é alimentado pelos desejos – desejados enquanto consciente – da pessoa que sonha. Analisando os sonhos e memórias, o profissional poderá entender o paciente de forma clara, já que o subconsciente pode influenciar o comportamento e os sentimentos da pessoa.

“A maioria das pessoas não quer realmente a liberdade, porque a liberdade envolve responsabilidade e a maioria das pessoas é amedrontada pela responsabilidade.”

A teoria mais polêmica e famosa de Freud é a do Complexo de Édipo, em que todas as crianças que estão entre os três e os sete anos de vida, se atraem sexualmente pelo pai (se for menina) ou pela mãe (se for menino). E que essa mesma criança também compete com o pai (se for menino) ou com a mãe (se for menina). Para ele, esse acontecimento faz parte do processo de desenvolvimento humano.

Suas principais obras, usadas até hoje por estudantes de Psicologia e Psiquiatria, são: Estudos sobre a Histeria (1895), A Interpretação dos Sonhos (1900), Sobre a Psicopatologia da Vida Cotidiana (1901) e Três Ensaios sobre a Teoria da Sexualidade (1905).

Em 1939, Freud enfrentava um câncer de boca. Cansado de sentir muitas dores, solicitou uma dose letal de morfina, em sua casa, na cidade de Londres, e morreu aos 83 anos.