Os principais biomas brasileiros

Conheça os principais biomas brasileiros

1189
Postado: 1 de julho, 2020
biomas brasileiros

Um dos assuntos que mais aparece no ENEM e alguns outros vestibulares é a Ecologia. Entretanto, por ser um tópico bem amplo e com uma grande amplitude, os alunos ficam com dificuldade em saber quais matérias devem focar. Se esse for o seu caso, saiba que um queridinho dos vestibulares são os Biomas Brasileiros, por isso hoje vamos falar um pouco sobre eles.

O que é um Bioma?

Usando a definição do IBGE para explicar, um bioma é “um conjunto de vida vegetal e animal, constituído pelo agrupamento de tipos de vegetação contíguos e que podem ser identificados a nível regional, com condições de geologia e clima semelhantes e que, historicamente, sofreram os mesmos processos de formação da paisagem, resultando em uma diversidade de flora e fauna própria”. Ou seja, é unidade biológica, um espaço geográfico (o que explica ser visto tanto em Biologia quanto em Geografia); são grandes ecossistemas terrestres com características vegetais próprias, assim como espécies e nichos ecológicos específicos, com características influenciadas principalmente pelos fatores macroclimáticos.

Obs.: do grego Bio = vida / Oma = grupo ou massa

biomas brasileiros

Quais são os Biomas Brasileiros? 

Os Biomas Brasileiros correspondem ao conjunto de ecossistemas que existem no país, cada um com suas características climáticas, físicas e biodiversas. O Brasil é um dos países com os biomas mais ricos do mundo, com grandes reservas de água doce e mais de um terço das florestas tropicais restantes no mundo.

Existem seis Biomas Brasileiros:

  • Amazônia;
  • Cerrado;
  • Caatinga;
  • Mata Atlântica;
  • Pantanal;
  • Pampas.

1. Amazônia:

De todos os biomas, esse é o maior, compreendendo uma área na qual se encontra a maior floresta tropical do mundo. A Floresta Amazônica estende-se por nove países da América do Sul, sendo sua maior porção localizada no Brasil, ocupando cerca de 40% do nosso território. Ela está presente em nove estados: Acre, Amazonas, Amapá, Mato Grosso, Maranhão, Pará, Roraima, Rondônia  e Tocantins. Além de ser a maior floresta tropical em extensão territorial, a Amazônia também possui a maior diversidade biológica.

É um ambiente tropical, com uma grande quantidade de luz, que gera grande quantidade de fotossíntese e consequentemente alta produtividade primária. Caracteriza-se pela presença de diversos ecossistemas e por deter grande biodiversidade na fauna e na flora. Esse bioma compreende uma região constituída pela maior bacia hidrográfica do mundo: a Bacia Amazônica (que detém 20% da água doce do planeta). O Rio Amazonas é o principal e o maior em volume de água do mundo, recebendo vários afluentes.

Fauna: apresenta uma das faunas mais ricas do planeta, com os principais representantes sendo animais como a onça-pintada, boto-cor-de-rosa, arara-azul, capivara, tatu e cobras, como a cascavel e a jararaca. Tem entre 2500 e 3000 espécies de peixes, mais de 1300 de espécies de pássaros e mais de 300 de espécies de mamíferos.

Flora: a vegetação é densa, com árvores altas muito próximas uma das outras, o que caracteriza uma mata fechada, com árvores como jacarandá, imbuia, peroba, entre outras. Outra característica dessa vegetação é que as árvores apresentam folhas largas e grandes como adaptação do clima úmido e quente (plantas perenes, que não perdem as folhas).

Clima: Quente e úmido, apresentando umidade do ar elevada durante todo o ano.

2. Cerrado:

O Cerrado é considerado o segundo maior bioma da América Latina e do Brasil. É conhecido como savana brasileira, apresenta grande biodiversidade e compreende uma área de elevado potencial aquífero. Esse bioma caracteriza-se por apresentar diversas fitofisionomias em virtude dos vários contatos geográficos que possui com outros biomas: ao norte, limita-se com o bioma Amazônia; a leste e ao nordeste, com a Caatinga; ao sudoeste, com o Pantanal; e a sudeste, com a Mata Atlântica.

Fauna: Apresenta cerca de 837 espécies de aves, 185 espécies de répteis, 194 espécies de mamíferos e 150 anfíbios. Os principais representantes da fauna do Cerrado são ema, tamanduá-bandeira, lobo-guará, onça-parda, entre outros. Apesar da grande variedade, a fauna do Cerrado não é totalmente conhecida, principalmente em relação ao grupo de invertebrados.

Flora: Inclui uma vegetação rasteira como as gramíneas, mas possuindo alguns arbustos e árvores de casca grossa e galhos retorcidos. Essa vegetação é característica deste bioma já que ele apresenta um solo pobre de alguns minerais e com excesso de alumínio. Além disso, possuem raízes profundas que são capazes de absorver água dos lençóis subterrâneos, como ocorre em alguns representantes, como o araçá, o pau-terra, entre outros.

Clima: Tropical sazonal.

3. Caatinga: 

Compreende cerca de 11% do território brasileiro, ocupando boa parte da Região Nordeste até a porção norte de Minas Gerais. O nome dado a esse bioma tem origem indígena e significa “floresta branca” – denominação que remete às características dessa vegetação ao longo da estação seca. Considerado o bioma mais seco, a Caatinga apresenta baixos índices pluviométricos.

Fauna: a fauna da caatinga inclui a ararinha-azul, periquito da caatinga, carcará, entre outros animais, alguns destes também estão ameaçados de extinção. Além disso, neste bioma há uma grande quantidade de insetos. 

Flora: a vegetação predominante da caatinga possui adaptação contra perda de água, como presença de espinhos nas cactáceas, e reserva de água, como ocorre no juazeiro, por exemplo.

Clima: Apresenta temperaturas elevadas com secas longas, dessa forma possuindo um clima semi-árido.

4. Mata Atlântica:

Localizada entre o Rio Grande do Norte até a Região Sul, a Mata Atlântica conta com apenas 7% da distribuição original nas encostas das serras e planícies litorâneas, por conta do desmatamento. É o bioma mais devastado do Brasil. Ele apresenta diversos ecossistemas e também inclui grande diversidade de flora e fauna.

Fauna: a fauna do bioma Mata Atlântica é semelhante à do bioma Amazônia, contando com aproximadamente 850 espécies de aves, 370 espécies de anfíbios, 200 espécies de répteis, 270 espécies de mamíferos e 350 espécies de peixes. Conta com onça-pintada, mico-leão-dourado e uma diversidade enorme de aves. Grande parte destes animais estão sob ameaça de extinção.

Flora: a flora da Mata Atlântica conta com aproximadamente 20 mil espécies de vegetais, das quais 8 mil existem apenas nessa região. Cerca de 55% das espécies arbóreas e 40% das espécies não arbóreas são endêmicas, existindo apenas nesse bioma. Considerada uma das florestas com maior biodiversidade, a Mata Atlântica conta com o recorde de plantas lenhosas. Conta com pau-brasil, jacarandá, bromélias e orquídeas

Clima: Predominantemente tropical-úmido, com temperaturas e índice pluviométrico altos.

5. Pantanal:

É considerado uma das maiores planícies alagadas do mundo, compreendendo os estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. É o menor bioma em extensão territorial do Brasil, ocupando cerca de 2% do território nacional. É um bioma com grande biodiversidade que vem sendo ameaçada pela ação antrópica. Ademais, sofre influência de outros biomas, como Amazônia, Cerrado e Mata Atlântica.

Fauna: possui algo incomum que são espécies de outros biomas que se encontram ameaçadas aglomeram-se na região do Pantanal. Sua fauna é composta por uma diversidade de aves, incluindo a arara-azul, jaburus, colhereiros, entre outros. Além das aves, outros animais são típicos do pantanal, como o dourado, piranhas, sucuri, cervo-do-pantanal, ariranhas, onça-pintada, jacaré-de-papo-amarelo, entre outros.

Flora: A flora conta com espécies típicas de outros biomas e do próprio local, como buriti, manduvi e carandá. Ademais, há também a presença de gramíneas, arbustos, palmeiras e árvores comuns da floresta tropical.

Clima: apresenta um clima predominante tropical continental com altas temperaturas e chuvas, de verão chuvoso e inverno seco nos períodos de chuva.

6. Pampas:

Conhecido também como Campos Sulinos, esse bioma ocupa cerca de 2% do território brasileiro, abrangendo o território do estado do Rio Grande do Sul. O nome “pampa” tem origem indígena e designa uma região plana. A paisagem desse bioma é composta, em sua maioria, por campos nativos.  A maior parte deste bioma foi desmatada para dar lugar a lavouras.

Fauna: é bastante diversificada, contando com cerca de 500 espécies de aves, 100 espécies de mamíferos e uma grande variedade de insetos, que contribui para a existência de várias espécies de aves. Aproximadamente 40% das espécies são endêmicas. Os principais representantes da fauna são ema, perdiz, pica-pau, joão-de-barro, veado-campeiro, preá, entre outros.

Flora: três mil espécies vegetais, com predominância de gramíneas, que alcançam cerca de 450 espécies. É possível encontrar também espécies de leguminosas e cactáceas.

Clima: apresenta clima subtropical, sendo as quatro estações do ano bem definidas.

Bom, além desses 6 existem também matas de transição, que são aquelas que unem dois ou mais biomas, como por exemplo, os manguezais.

Manguezal: é um bioma distribuído do Amapá até Santa Catarina em regiões litorâneas. O manguezal é uma transição entre o mar e a terra. Apresenta uma vegetação bem característica, seus arbustos possuem raízes altas, acima do solo, já que o manguezal possui um solo lodoso, com pouca quantidade de oxigênio. O manguezal é conhecido como berçário, já que muitas espécies de animais marinhos usam esse bioma para reproduzir.

E aí? Gostou? Para ler mais matérias do blog, clique aqui.