Os movimentos literários no Brasil

Aquele resumão sobre os principais movimentos literários brasileiros!

213
movimentos literários

Todo mundo sabe que a literatura ao longo dos séculos, foi dividida em movimentos literários, cada um com características específicas e com obras e autores de grande expressão. Pensando nisso, o QG preparou uma matéria com as escolas literárias do século XIX mais importantes para os vestibulares! Confira:  

movimentos literários

ROMANTISMO (de 1836 a 1881)  

O Romantismo foi um movimento literário em oposição ao modelo clássico, cujas principais características eram: o subjetivismo, a exaltação de sentimentos nacionalistas e patriotas, a fuga da realidade, a idealização da sociedade e do amor e a supervalorização dos sentimentos. Nesse sentido, o Romantismo no Brasil teve três importantes fases:  

  

Fase Nacionalista ou Indianista: 

Essa fase tinha uma ligação muito forte com a natureza e com o passado, mas sua característica mais notável foi a criação de um herói nacional sob a figura indígena. Assim, o índio tornou-se a figura de um herói honesto, justo e incorruptível, semelhante à de um cavaleiro medieval. Uma obra significativa desta fase é “O Guarani” de José de Alencar. 

 

Fase Ultrarromântica: 

O ultrarromantismo foi também conhecido como geração mal do século, que simbolizava o momento de crise das crenças e valores da sociedade europeia.  Suas principais características eram o negativismo, o pessimismo, a desilusão e o tédio que desencadearam na fuga da realidade, na idealização e na exaltação da morte. Nesse momento, a obra “Noite na Taverna” de Álvares de Azevedo é referência na literatura nacional  

 

Fase Condoreira:

condoreirismo se destacou por ser voltado a questões sociais e libertárias e por ter uma poesia engajada. No Brasil, a questão escravocrata foi bastante discutida nessa corrente pelo poeta Castro Alves, que chegou a receber até o apelido de “Poeta dos Escravos”, devido a poemas como “Navio negreiro”.  

 

REALISMO (de 1881 a 1893) 

O Realismo foi um movimento literário cujas principais características eram: abordagem de temas sociais de maneira crítica e objetiva, caráter ideológico, denúncia social e linguagem mais clara e política, sem adornos. Dentro de suas críticas, instituições como a Igreja Católica e a burguesia eram alvos polêmicos nos romances realistas, que também criticavam o preconceito e as condições humanas. No Brasil, autores como Machado de Assis com a obra “Memórias Póstumas de Brás Cubas” e Raul Pompeia com “O Ateneu” são grandes referências dessa corrente. 

 

NATURALISMO (de 1801 a 1900)  

O Naturalismo é considerado uma corrente literária de extensão do Realismo. Suas principais características são: a valorização do pensamento científico, com influências do positivismo e do evolucionismo, o condicionamento do ser humano a biologia e ao meio social e realização de descrições, tanto de ambientes quanto de pessoas. Desse modo, esse movimento abordava temas como insanidade, violência, exploração social e instinto, como pode ser visto nas obras “O Mulato” e “O Cortiço” de Aluísio de Azevedo.  

 

Por fim, pode-se perceber que a literatura e a história andam lado a lado, e o século XIX foi um momento de grande efervescência cultural. Por isso, é tão importante atrelarmos os estudos literários com outras áreas do conhecimento, tendo em vista que todas elas contribuem para a construção dos movimentos artísticos de uma sociedade.