O conceito de família no mundo contemporâneo

Entenda como o conceito de família se modificou ao longo dos séculos e como ele poderia ser tratado em um possível tema de redação

170
Postado: 14 de outubro, 2020
família

A instituição familiar, em diversas sociedades, é considerada um dos pilares da formação humana. É dentro dessa construção que temos nossa primeira socialização, nossos primeiros aprendizados e nossos primeiros valores. Assim, esse tema é fonte de discussão há séculos e foi ainda mais estimulado no mundo contemporâneo, com discussões a respeito da sua composição e sua real definição. Afinal, o que é família? Como ela pode ser constituída? 

FAMÍLIA, O QUE É? 

O conceito de família é extremamente mutável dentro das sociedades, pois está sempre em consonância com os ideais sociais e políticos vigentes em um dado momento. Isso significa que, a concepção de família na Antiguidade, por exemplo, não é a mesma do mundo Contemporâneo, embora tenha havido uma manutenção de determinados ideais. 

No mundo Antigo, por exemplo, a configuração familiar era patriarcal, matrimonial e patrimonial, tendo um homem como chefe da família e responsável por seu sustento e uma mulher como provedora do lar e responsável pela criação da prole. Essa configuração embora ainda exista, não é a única atualmente. 

Hoje em dia, a Constituição Brasileira define como família diversas formas de organização fundamentais na relação afetiva entre seus membros. Isto é, qualificamos família como qualquer grupo entre pessoas com ligações biológicas, ancestrais, legais ou afetivas, podendo ser composta por casais homoafetivos, heteroafetivos, ou outras constituições entre parentes, como avó e neto, mãe, filhos e avós, pais e filhos, mãe e filhos, tias e sobrinhos, entre outras. 

família

DICA DO PROFESSOR 

Para te ajudar a construir um texto com o possível tema conceito de família no mundo contemporâneo, convidamos o professor do QG do ENEM, Diego Dias, para dar algumas dicas. Segundo ele:

“Pensando em contextualizações positivas para iniciar o debate, podemos pensar na mídia. Isso é vinculado a partir de filmes, séries, ficções engajadas, e abre espaço para você fugir do tradicional e começar a reconhecer sua família por mais diversa que ela seja. Então, a gente pode começar com ‘Minha mãe é uma peça’ e, para um lado mais moderno, podemos usar ‘Modern Family’. Além disso, daria para a gente falar dos filmes ‘Os Incríveis’ e também ‘Sex Education’ e ‘Merlí’.”

No que se refere a argumentação, o professor Diego Dias deu a seguinte dica: 

“Como um primeiro argumento, a gente pode perceber que a atual sociedade brasileira tem modificado sua estrutura, garantindo portanto direitos a grupos antes marginalizados, como por exemplo os homossexuais (…) Outro dado é de 2011, quando casais homoafetivos conseguem se instaurar legalmente como família. E um outro é do ano de 2015, em que a adoção de crianças por casais homossexuais acaba sendo permitida, embora com muita burocracia.”