Geografia ENEM: Movimentos Migratórios

1564

Na prova de Ciências Humanas do ENEM, o assunto movimentos migratórios foi cobrado em quase todos os anos, por isso, vamos falar detalhadamente nesse post sobre o que são esses movimentos e quais são os tipos.

Os movimentos migratórios se dão, basicamente, por condições de vida que fazem com que o indivíduo tenha que procurar outra forma de se viver – na maioria das vezes, de uma melhor forma – em outro bairro, cidade, estado ou país. Esses indivíduos podem ser emigrantes ou imigrantes, dependendo do seu movimento migratório. Vamos aos detalhes:

Emigrantes – os emigrantes são aqueles que saem de seus países para viver em outros. Exemplo: muitos brasileiros são emigrantes e procuram países da América do Norte para seus novos destinos.

Imigrantes – para o país que recebe, os imigrantes são aqueles que vêm de outros países para morarem nele. Exemplo: Os Estados Unidos recebeu mais de 1,2 milhões de brasileiros imigrantes nos últimos anos, segundo o Ministério das Relações Exteriores.

Ambos os movimentos são migratórios externos, já que há uma mudança de país. Mas, internamente (dentro de cada país) acontecem outros tipos de migrações. São elas:

Pendular – Esse tipo de migração é o mais comum em quase todas as cidades do Brasil, principalmente em volta dos principais centros urbanos como, por exemplo, São Paulo e Rio de Janeiro. Isso acontece porque os grandes pólos econômicos se localizam nesses lugares, assim, a maioria da população que está empregada tem que fazer esse movimento diariamente para essas localidades. Dentro desse ponto, podemos discutir sobre Mobilidade Urbana, que inclusive já foi tema de redação dos nossos cursos. 😉 A migração pendular se dá por meio de ônibus, trem, metrô e outros meios de transportes alternativos.

Quem nunca pensou em fazer isso quando viu que estava atrasado?

Transumância – Esse movimento não é constante, como acontece com o pendular, ele acontece em determinadas épocas do ano, onde uma grande quantidade de pessoas faz o mesmo movimento para uma certa localidade que normalmente são os pontos ou cidades turísticas. Alguns exemplos são as férias de verão, o carnaval e as férias de julho. Esse tipo de migração movimenta a economia e o turismo das localidades envolvidas.

Férias, aí vou eu!

O êxodo rural também é um tipo de movimento migratório interno e, ao contrário do que acontecia antigamente, esse movimento diminuiu. Nas décadas de 60 a 70, houveram grandes movimentos migratórios do campo para a cidade por conta das secas e da deficiência da economia rural. Dessa forma, os profissionais do campo acabaram buscando espaço em meio à industrialização. Porém, nas últimas décadas, alguns desses lugares que sofreram o êxodo rural voltaram a se tornar pontos importantes para o turismo e a economia, fazendo com que muitas pessoas desistissem de largar suas vidas em suas cidades natais para viver em grandes cidades.

Resumindo o que falamos hoje:

Quer saber mais sobre os temas que mais caem no ENEM? Acompanhe tudo aqui no nosso blog!