Caminhos para Combater a Evasão Escolar no Brasil

Treine para o Enem com o tema da redação da semana!

1562

QGnianos dos cursos Completo ENEM +, Combo Completo ENEM + Foca na Medicina, Combo Completo Enem + Foca nas Humanas ou do pacote ILIMITADO saiu mais um tema de redação! As correções são pela Imaginie, maior plataforma de correções de redações para ENEM e vestibulares.

As redações deverão ser entregues pela área do aluno nova: http://aluno.enem.com.br.

Atenção: Para os alunos do curso Completo, o prazo de entrega é até 09/07. Já para os alunos do Ilimitado, o prazo é até o dia 02/07.

Curso Completo: as redações deste tema podem ser entregues até o dia 09/07/2017.

Ilimitado: as redações deste tema podem ser entregues até o dia 02/07/2017.

TEMA: CAMINHOS PARA COMBATER A EVASÃO ESCOLAR NO BRASIL

A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo em modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “Caminhos para Combater a Evasão Escolar no Brasil ”, apresentando proposta de intervenção que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

TEXTO I

A porcentagem de jovens que concluem o ensino médio na idade certa – até os 17 anos – aumentou em 10 anos, passando de 5%, em 2004, para 19%, em 2014. Os dados estão em um estudo do Instituto Unibanco, feito com base nos últimos dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Há, no entanto, 1,3 milhão de jovens entre 15 e 17 anos que deixaram a escola sem concluir os estudos, dos quais 52% não concluíram sequer o ensino fundamental.

“Este é o subgrupo mais vulnerável, pois são brasileiros que, caso não voltem a estudar, terão altíssima probabilidade de inserção precária no mercado de trabalho, além de não terem tido seu direito à educação básica assegurado”, diz a publicação.

O estudo Aprendizagem em Foco, divulgado nesta semana, mostra que, quanto maior a renda, mais os estudantes avançam nos estudos. Entre aqueles que concluíram o ensino médio na idade correta, a média de renda familiar por pessoa é R$ 885. Entre os que não terminaram o ensino fundamental, a média cai para R$ 436. O ingresso no mundo do trabalho e s gravidez na adolescência estão entre os fatores que levam os jovens a deixar a escola.

“Os estudos feitos com dados do IBGE e do MEC [Ministério da Educação] indicam que há grupos em maior risco. São jovens de baixa renda, em sua maioria negros, que trocam com frequência os estudos por um trabalho precário ou que ficam grávidas já na adolescência”, diz o texto, que acrescenta: “Entender o perfil do jovem que evade da escola e identificar os momentos em que esse movimento é mais provável são ações importantes a serem realizadas pelos gestores de escolas e dos sistemas educacionais.”

http://agenciabrasil.ebc.com.br/educacao/noticia/2016-02/13-milhao-de-jovens-entre-15-e-17-anos-abandonam-escola-diz-estudo

 

TEXTO II

Os motivos para o abandono da escola

Dentre os motivos alegados pelos pais ou responsáveis para a evasão dos alunos, são mais frequentes nos anos iniciais do ensino fundamental (1ª a 4ª séries/1º ao 9º ano) os seguintes: Escola distante de casa, falta de transporte escolar, não ter adulto que leve até a escola, falta de interesse e ainda doenças/dificuldades dos alunos.

Ajudar os pais em casa ou no trabalho, necessidade de trabalhar, falta de interesse e proibição dos pais de ir à escola são motivos mais frequentes alegados pelos pais a partir dos anos finais do ensino fundamental (5ª a 8ª séries) e pelos próprios alunos no Ensino Médio. Cabe lembrar que, segundo a legislação brasileira, o ensino fundamental é obrigatório para as crianças e adolescentes de 6 a 14 anos, sendo responsabilidade das famílias e do Estado garantir a eles uma educação integral.

Segundo a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB9394/96) e o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), um número elevado de faltas sem justificativa e a evasão escolar ferem os direitos das crianças e dos adolescentes. Nesse sentido, cabe a instituição escolar valer-se de todos os recursos dos quais disponha para garantir a permanência dos alunos na escola. Prevê ainda a legislação que esgotados os recursos da escola, a mesma deve informar o Conselho Tutelar do Município sobre os casos de faltas excessivas não justificadas e de evasão escolar, para que o Conselho tome as medidas cabíveis.

Segundo o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, todos os alunos que não estão nas salas de aula brasileiras já foram identificados e a partir de abril, as famílias serão visitadas “uma a uma”, com finalidade de matricular os adolescentes e crianças em idade escolar: “A dificuldade é como a gente convence o adolescente a voltar para a escola”, disse. Em entrevista coletiva, Mercadante fez um paralelo das taxas criminais e o número de evasão escolar e afirmou que se todos os jovens estivessem na escola, o Brasil teria menos problemas de violência. Algumas das razões do abandono podem ser a repetência do aluno, gravidez precoce, envolvimento com o crime e a necessidade de trabalhar.

A equipe responsável pela tentativa de retorno dos estudantes será formada por técnicos do Ministério da Educação (MEC), agentes de saúde da família e assistentes sociais.

http://veja.abril.com.br/educacao/mais-de-1-milhao-de-jovens-de-15-a-17-anos-estao-fora-da-escola-segundo-censo-escolar-2015/

 

TEXTO III

https://get.google.com/albumarchive/107770552892988893756/album/AF1QipNrf1kmV_-clCWjBduit13p8xd-yk34HYFNoueY/AF1QipPTp3Zng1EGiCNTfDVPO9JESLHqiA8LmoEIvJG8
https://get.google.com/albumarchive/107770552892988893756/album/AF1QipNrf1kmV_-clCWjBduit13p8xd-yk34HYFNoueY/AF1QipPTp3Zng1EGiCNTfDVPO9JESLHqiA8LmoEIvJG8