A conservação da biodiversidade no Brasil do Século XXI

1907

Toda segunda-feira liberamos um novo tema de redação para nossos alunos praticarem. Nesta semana, o tema em questão é: “A conservação da biodiversidade no Brasil do Século XXI“. Para ter acesso à correção, adquira qualquer um dos nossos pacotes que contenham o Curso Completo ou Redação na Prática! Confira aqui.

Texto 1

 O rumo atual e a perda da biodiversidade no Brasil

 O Brasil é um dos países mais ricos em biodiversidade do mundo. É um dos dezessete países que, juntos, possuem 70% da biodiversidade do planeta. O conjunto dos biomas terrestres (Mata Atlântica, Amazônia, Cerrado, Caatinga e Campos do Sul) abriga 20% das espécies do planeta, constituindo 20% da flora global. O Brasil tem mais de 55% de cobertura vegetal nativa e 15% da água doce do planeta.

Tamanha biodiversidade reforça a importância das políticas orientadas para a conservação e o uso sustentável dos biomas, já que 60% das espécies ameaçadas de extinção estão em territórios protegidos, e aproximadamente 75% das áreas federais de conservação abrigam tais populações. A perspectiva é a conservação e uso sustentável de biodiversidade e florestas frente às ameaças representadas pelos efeitos das mudanças climáticas e pela exploração excessiva dos recursos naturais.

A freada na criação de UCs

“Entre 2003 e 2008, de todas as áreas protegidas no mundo, 75% foram criadas no Brasil durante a gestão da ex-ministra Marina Silva. No atual governo, nenhuma foi criada.”

Segundo dados do Ministério do Meio Ambiente, o Brasil conta com aproximadamente 1,5 milhão de km² de área coberta por Unidades de Conservação, o que corresponde a 16,6% da área continental nacional e 1,5% das águas jurisdicionais brasileiras. Considerando a área coberta por Unidades de Conservação federais e estaduais e as Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPN) no país, a maior parte se situa no bioma Amazônia, como pode ser observado na Figura 1. O Cerrado e a Mata Atlântica também detêm porções consideráveis da área protegida pelo SNUC (Sistema Nacional de Unidades de Conservação), com 10,9% e 6,4%, respectivamente.

Além dessas unidades de conservação, as Terras Indígenas – que pertencem à União e representam aproximadamente 13% do território brasileiro – e os territórios quilombolas também são considerados áreas protegidas. A rica sociodiversidade, representada por mais de duzentos povos indígenas e comunidades locais (quilombolas, caiçaras, seringueiros etc.), reúne inestimável acervo de conhecimentos tradicionais sobre a conservação e o uso da biodiversidade. (…)

(http://www.oeco.org.br/colunas/colunistas-convidados/28642-o-rumo-atual-e-a-perda-da-biodiversidade-no-brasil/)

Texto 2

 

(jessica.domingues.zip.net)

 

Texto 3

 

(ambientalsustentavel.org)

 

Texto 4

 Estudo mostra que combate ao desmatamento não garante preservação da Amazônia

 Um estudo inédito publicado pela revista científica Nature aponta que combater apenas os grandes desmatamentos é uma ação insuficiente para conservar a biodiversidade da Amazônia.

A pesquisa, assinada por estudiosos brasileiros e estrangeiros, afirma que é preciso levar em consideração também o controle da exploração madeireira ilegal, dos incêndios florestais e da fragmentação das áreas de floresta remanescentes.

Esses fatores, segundo a pesquisadora de Ecologia e Serviços Ambientais da Embrapa, Joice Ferreira, causam enormes impactos no modo de vida da floresta.

Sonora:  “O que nosso estudo está mostrando é que a questão do fogo como a questão da exploração da madeira ilegal está promovendo uma perda da nossa diversidade de bichos e de plantas tão importante, tão grave quanto o desmatamento.” (…)

(http://radioagencianacional.ebc.com.br/geral/audio/2016-07/estudo-mostra-que-combate-ao-desmatamento-nao-garante-preservacao-da-amazonia)

 

Com base na leitura dos seguintes textos motivadores e nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo em modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema A conservação da biodiversidade no Brasil do Século XXI, apresentando proposta de intervenção que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

 Instruções

– O texto definitivo deve ser escrito à tinta, na folha própria, em até 30 linhas.

– A redação com até 7 (sete) linhas escritas será considerada “insuficiente” e receberá nota zero.

– A redação que fugir ao tema ou que não atender ao tipo dissertativo-argumentativo receberá nota zero.

– A redação que apresentar proposta de intervenção que desrespeite os direitos humanos receberá nota zero.

– A redação que apresentar cópia dos textos da Proposta de Redação terá o número de linhas copiadas desconsiderado para efeito de correção.