Resumão: Brasil República (parte 1)

0
469

Brasil República faz parte de pouco mais 15% da prova de Ciências Humanas em História no ENEM, desde 2009. Por isso, com a proximidade da prova, preparamos um resumão com os principais tópicos desse assunto. Vamos lá!

Após o movimento político-militar do dia 15 de novembro de 1889, onde o país deixou de ser monárquico e o Império de D. Pedro II foi derrubado, a Proclamação da República regida pelo marechal Manuel Deodoro da Fonseca foi considerada um marco que rege até a atualidade nosso sistema político. Esse período ficou conhecido como República Velha (1889-1930) e foi divido em duas partes: República da Espada e República Oligárquica.

1) República da Espada (1889 – 1894)

A partir de 1889, o país ficou sob o comando do exército (por isso a “espada”), onde o marechal Deodoro da Fonseca governou até 1891 (Governo Provisório). Após a saída, marechal Floriano Peixoto assumiu até 1894. Esse governo teve o propósito de impor o governo para evitar uma possível oscilação ou resistência podendo ocasionar uma volta para a monarquia ou separação do Brasil.

2) República Oliquárquica (1894 – 1930)

Os oligárquicos foram pequenos grupos seletos economicamente que governaram o país, originado da oligarquia cafeeira de paulista que se aliaram à oligarquia mineira mais tarde. A aliança dos paulistas com Floriano Peixoto resultou nas eleições de Prudente de Morais (Partido Republicano Brasileiro). A partir daí, junto do Governo Federal foi decidido que a política do café-com-leite designaria que seus futuros governantes seriam apenas de São Paulo ou Minas Gerais, que eram os principais produtores de café e de leite do país.

Nesse período surgiram alguns fatos:

  • Coronelismo: apenas coronéis tinham o poder político, econômico e social;
  • Início da industrialização: o país começou a comercializar externamente o café atraindo investimento e desenvolvimento principalmente na cidade de São Paulo;

Em 1930, o governo sofreu um golpe de Estado trazendo Getúlio Vargas ao poder, golpe esse que opôs os governantes oligárquico uns contra os outros, como a eleição de Julio Prestes que não foi vingada devido à suposições ilegais ao possível governo. Iniciou-se assim a Era Vargas até 1945. Esses 15 anos foram renovadores para a política brasileira e foram divididos em 3 fases: Governo Provisório (1930 – 1934), Governo Constitucional (1934 – 1937) e o Estado Novo (1937 – 1945).

Sobre Vargas, vamos prosseguir na segunda parte da matéria.

Para reforçar o que falamos aqui, vamos ver essa aula do Foca nas Humanas sobre Primeira República com o maravilhoso Marcelo Tavares:

 

 

Comentários

comentários

Sem comentários

DEIXE UMA RESPOSTA