Guerra civil na Síria: conheça os personagens.

0
1410
Matéria sobre a guerra civil na Síria

A guerra civil na Síria já dura mais de seis anos e vem devastando não só suas cidades como sua população. Mais de meio milhão de sírios foram mortos e suas crianças não foram poupadas. De acordo com a Unicef, 652 crianças e adolescente morreram no conflito somente em 2016, sendo que 255 dessas vítimas perderam a vida em ataques dentro ou próximos de escolas.

Essa guerra teve início em 2011, impulsionada pela Primavera dos Árabes, onda de movimentos revolucionários e protestos contra governos totalitários árabes. O fato da Síria estar em uma região estratégica do Oriente Médio e de ser um país com uma ampla diversidade de etnias e religiões provocou a complexidade dessa história e a longa duração do conflito.

Os principais personagens da guerra civil na Síria

Governo Bashar al-Assad: atual presidente da Síria, Bashar al-Assad herdou o governo de seu pai, dando continuidade a um regime que está no poder há mais de 37 anos. Al-Assad recriminou, com prisão e tortura, estudantes que picharam frases revolucionárias no muro de uma escola, em 2011. Logo após, eclodiram manifestações pacíficas contra a tirania do governo que foram ainda mais recriminadas.

Rebeldes: com a dura repressão, surgem os grupos rebeldes armados. A princípio, todos os sírios se juntaram para lutar contra o governo de al-Assad. Porém, com o tempo, os grupos se dividiram em tantas subdivisões, envolvendo etnias e religiões, que chegam a contabilizar mais de mil grupos. Por causa disso, o mundo os separou entre moderados (em sua maioria sunitas) e radicais (em sua maioria xiitas e jihadistas. Alguns possuem ligações com a al-Qaeda).

Estado Islâmico: grupo extremista que entrou em cena em 2014. Criado em 2013, cresceu como um braço da organização terrorista da al-Qaeda. O objetivo do EI é impor pela força o monopólio de um governo islâmico, tendo como base o Sharia (código de leis do islamismo). Os combatentes do Estado Islâmico enfrentam tanto o governo de Basshar al-Assad como outros rebeldes.

EUA: apesar de ser contra o governo de al-Assad, a prioridade dos EUA é conter o Estado Islâmico. Com os avanços do EI na guerra na Síria, o ex-presidente Barack Obama autorizou a interversão norte-americana no conflito.

Rússia: em setembro de 2015, a Rússia também intervém na guerra que acontece em solo sírio a favor do governo de Bassar al-Assad e contra o Estado Islâmico.

Civis: em meio a esse caos, estão os civis sírios que tentam fugir de tanta violência e da miséria, gerando um dos maiores êxodos da história.

Dados atuais dos refugiados sírios

Já foram contabilizados 5 milhões de refugiados que arriscaram suas vidas para fugir da guerra e da opressão dos grupos mais radicais. A maior parte fugiu para países vizinhos, como a Turquia, Líbano e Jordânia. Mas boa parte procuraram países da União Europeia, como França e Inglaterra, e até mesmo o Brasil que, desde 2013, recebeu mais de 2 mil refugiados.

Qual o motivo da guerra na Síria?

A guerra civil na Síria, além de ser um tema atual, com certeza já virou um triste marco na história mundial. Os motivos que influenciaram essa guerra vêm de séculos atrás e foram explicados na aula interdisciplinar, do curso Completo Enem +, pelos professores João Felipe, de Geografia, e Monty Hinke, de História:

Comentários

comentários

Sem comentários

DEIXE UMA RESPOSTA