Top 10: Temas de História que mais caem no Enem

0
2437

http://thericchi.com/library/kakaya-semya-schitaetsya-mnogodetnoy-v-samarskoy-oblasti.html Para começar a revisão para o Exame Nacional do Ensino Médio, o professor de História do QG do Enem, Marcelo Tavares, separou os 10 temas que têm mais chance de cair na prova de Ciências Humanas deste ano (2016). O exame será realizado nos dias 5 e 6 de novembro. Isso é, em menos de 15 dias! Então pegue o bloquinho, uma caneta e anote as dicas:

http://net-com.su/library/osnovnie-finansovie-plani-predpriyatiya.html основные финансовые планы предприятия http://geningconsult.ru/owner/sest-na-kefirnuyu-dietu.html сесть на кефирную диету 1) Brasil Colonial
Com 13% de chance de cair no exame, o candidato terá que entender o nascimento da sociedade brasileira a partir da lógica mercantilista portuguesa. Lógica esta que tinha como base a escravidão, o patriarcalismo e a economia – que orientava a ocupação do vasto território. O ciclo do açúcar e a mineração também merecem destaque nesta reta final para o Enem.

получить второе высшее образование в дк где

статья 1225 гражданского кодекса рф http://jessicatapscott.com/owner/istoriya-razvitiya-novorozhdennogo-forma-n-097-u.html n 097 2) Primeira República
O candidato deve dar ênfase para o momento em que o Federalismo passou a orientar a organização do Estado brasileiro. Esta organização garantiu muita autonomia às elites estaduais, inseridas no sistema da Política dos Governadores que, por sua vez, era sustentada pelo controle eleitoral do coronelismo. Outro ponto importante, são os movimentos sociais do Contestado, Canudos, a Revolta da Vacina, a Revolta da Chibata e o Cangaço. Estes assuntos têm 10% de probabilidade de cair no Enem 2016.

http://vaportrap.com/mail/lyubov-i-predatelstvo-2003.html любовь и предательство 2003 3) Império
Sobre a época do Império, os estudantes devem dominar tudo a respeito do momento da consolidação do Estado Nacional. Desde a criação da Constituição de 1824, passando pela instabilidade do Período Regencial, até a estabilidade alcançada no II Reinado. A Guerra do Paraguai e o movimento abolicionista também  podem ganhar destaque na prova de Ciências Humanas. Todas estas temáticas possuem 10% de chance de aparecerem no exame.

понятие норма воспитания 4) Cultura negra no Brasil
Também com 10% de chance de cair, a luta pelo fim da escravidão, os quilombos e resistências devem fazer parte do conhecimento adquirido pelos estudantes ao longo do ano. A importância de quebrar a visão tradicional do negro como passivo na luta abolicionista, a organização do movimento negro na República, a luta em favor da assimilação sendo substituída pela luta em favor do respeito aos valores africanos, à cultura e à religião também têm chances de serem abordados por questões da primeira prova do Enem.

http://www.openspacebg.com/priority/karti-mail-ru-skachat.html mail ru 5) Revoluções Industriais
Já com 6%, o professor Tavares destaca que o importante sobre as Revoluções Industriais é ter noção das transformações sociais que a indústria provocou e provoca. Como a produção em larga escala, o surgimento do proletariado e dos bairros operários, a tecnologia interferindo nas comunicações e no transporte.

http://aulabarat.com/mail/sluzhebnoe-raspisanie-poezdov-na-2014-2015.html служебное расписание поездов на 2014 2015 6) Ditadura Militar
Sobre o período ditatorial, entre 1964-1985, os candidatos devem saber abordar o assunto sob a perspectiva das questões políticas, que legitimaram para alguns grupos da sociedade a interrupção democrática. Junto disso, também devem conhecer e entender os Atos Institucionais, o aumento da repressão, as grandes manifestações em favor da redemocratização, a “Passeata dos 100 mil” (1968) e as “Diretas Já” (1984). Todos estes assuntos podem, com 6% de probabilidade, aparecer nas questões da prova de Ciências Humanas do Enem.

http://famaenvios.com/library/podavat-ruku-pri-vihode.html подавать руку при выходе 7) Origens da Civilização Ocidental
Apenas com 5% de probabilidade de aparecer no Enem, os pontos que se destacam sobre as origens da civilização ocidental são os limites da democracia em Atenas, a cultura militarista espartana, as variações em torno do papel da mulher e a cultura helênica, gerada pelo Império Macedônico. Outro ponto muito importante sobre este assunto é a Roma Antiga, principalmente o processo de desarticulação do Império e da ascensão do mundo feudal.

как правильно стелить полсвоими руками 8) Era Vargas
O professor de História do QG do Enem destaca que a Era Vargas têm 5% de chance de ser abordada no exame, mas que muitos acontecimentos desse momento histórico podem aparecer nas provas. Entre eles estão: as alterações políticas, econômicas e sociais – que foram aceleradas entre 1930 e 1945; a transformação das massas como agente político; o trabalho urbano; a indústria; o Ministério do Trabalho e da Educação.

Os candidatos também devem entender a polarização política que levou à radicalização da intervenção do Estado na relação entre capital e trabalho durante o Estado Novo (não esqueçam da criação da CLT!), o propagandismo nacionalista e a presença do Brasil na 2º Guerra.

9) Democracia
O professor Tavares também ressalta que é interessante que o aluno crie uma espécie de linha do tempo para o período da Democracia, discutindo o processo de democratização da sociedade. No no caso europeu, o aluno deve dominar a passagem do Absolutismo Moderno para o estado de direito, o Iluminismo, o Liberalismo e a democratização política a partir do final do século XIX – graças à maturidade, principalmente, do movimento operário. Já no caso brasileiro, os estudantes devem conhecer a fundo as conquistas do processo de democratização: o voto feminino em 1932 e o voto do analfabeto, consagrado na Carta de 1988. Assuntos que abordem a Democracia têm 5% de caírem no exame.

http://chef-mamma.com/priority/uchenie-ob-iskah-v-rimskom-prave.html учение об исках в римском праве 10) Movimentos sociais
Na visão do Enem os movimentos sociais respondem às demandas que não sensibilizam os governos e possuem 3% de chance de serem abordados por alguma questão, de acordo com o professor de História. No caso brasileiro, é interessante que o alune monte uma linha do tempo elegendo movimentos sob essa perspectiva, com destaque aos movimentos autonomistas no Período Colônial, a crítica e a miséria na Confederação do Equador (1824) e na Cabanagem (1835-1840), além dos movimentos republicanos.

O professor Marcelo Tavares estará presente no aulão de revisão para o Enem, que será ao vivo e gratuito. Para saber mais, clique na imagem.

CapaFacebook_final

Comentários

comentários

Sem comentários

DEIXE UMA RESPOSTA