Português Enem 2015: A questão que fugiu do tradicional exigido pelo Exame

No Brasil, essas diferenças são acentuadas pelas particularidades culturais de cada região do país.

0
3229

Identificar as variações linguísticas no Enem é uma das competências que faz parte da matriz de referência de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. O tema sempre é abordado na prova em virtude de sua importância histórico-linguístico-social.

A linguística mostra que uma língua não é homogênea e deve ser entendida levando-se em consideração a diversidade que circunda os homens, ou seja, a chance de mutações. Dessa forma, o candidato deve levar em consideração que toda língua apresenta variações linguísticas. No Brasil, essas diferenças são acentuadas pelas particularidades culturais de cada região do país.

O candidato deve saber que as variações linguísticas podem ser compreendidas a partir da análise de diferentes fenômenos:

  • Os grupos sociais que não possuem acesso à língua formal usam a língua, tanto na modalidade escrita como a modalidade oral, de forma diferente;
  • Um mesmo grupo social expressa-se de maneira diferentes. Isto significa que um mesmo grupo social utiliza a língua de acordo com a situação de uso;
  • Na fonologia, as diferenças são mais acentuadas, assinalando-se não só na emissão das vogais, como na das consoantes.

Aproveitando o gancho das diferenças fonológicas, uma questão que se afastou do tradicional exigido pelo Enem foi a 116 da prova azul. A questão cobrou variação linguística, associada a uma parte mais fonética, que não é habitual ver no exame. Vamos a questão:

Enem 2015

Assum preto

Tudo em vorta é só beleza

Sol de abril e a mata em frô

Mas assum preto, cego dos óio

Num vendo a luz, ai, canta de dor

Tarvez por ignorança

Ou mardade das pió

Furaro os óio do assum preto

Pra ele assim, ai, cantá mió

Assum preto veve sorto

Mas num pode avuá

Mil veiz a sina de uma gaiola

Desde que o céu, ai, pudesse oiá

GONZAGA, L.; TEIXEIRA, H. Disponível em: www.luizgonzaga.mus.br. Acesso em: 30 jul. 2012 (fragmento).

As marcas da variedade regional registradas pelos compositores de Assum preto resultam da aplicação de um conjunto de princípios ou regras gerais que alteram a pronúncia, a morfologia, a sintaxe ou o léxico. No texto, é resultado de uma mesma regra a:

a) pronúncia das palavras “vorta” e “veve”

b) pronúncia das palavras “tarvez” e “sorto”.

c) flexão verbal encontrada em “furaro” e “cantá.

d) redundância nas expressões “cego dos óio” e “mata em frô”

e) pronúncia das palavras “ignorança” e “avuá”.

Resolução da Questão

Comentário: fica claro, na pronúncia das palavras “tarvez” e “sorto”, que o aspecto fonético foi alterado. O som representado pela letra “L” passa ao “R” retroflexo, mais conhecido como “R” caipira.

Gabarito: b

 

Comentários

comentários

Sem comentários

DEIXE UMA RESPOSTA