Como funciona uma usina nuclear? Entenda a partir do acidente de Chernobyl

30 anos do acidente de Chernobyl: entenda.

1
4103

Este ano, o acidente que aconteceu em Chernobyl, Ucrânia, completa 30 anos. Primeiramente, vamos entender como uma usina nuclear funciona para depois entender o passo-a-passo do acidente:

Acidente de Chernobyl:

  1. No dia do acidente, engenheiros que trabalhavam na usina nuclear começaram um experimento para saber se o sistema de bombeamento de refrigeração continuaria funcionando, se usasse a energia gerada pelo reator funcionando em baixa potência.
  2. Para que esse experimento acontecesse, muitas barras de controle (veja a imagem ao
    Usina nuclear
    Fonte: Google Imagens

    lado) foram inseridas no núcleo do reator, fazendo com que a potência caísse rápido demais, o que resultou quase em um apagão geral.

  3. Isso gerou uma preocupação nos engenheiros, que começaram a subir as barras de controle para aumentar a potência. A questão é que eles continuaram subindo barras, pois não estavam conseguindo alcançar a potência desejada.
  4. Ao mesmo tempo, o sistema de desligamento automático foi desabilitado, para permitir aos reatores que continuassem trabalhando em condições de baixa energia. De tanto subirem barras, em algum momento, o nível de energia alcançou níveis perigosos.
  5. O reator superaqueceu e a água presente nele para resfriamento, virou vapor. Nesse momento, se acredita que tenham retirado quase todas as barras de controle, deixando apenas 6. O problema é que para um funcionamento seguro, era preciso de no mínimo 30 barras.
  6. O botão de emergência foi pressionado e novas barras começaram a entrar no núcleo do reator, mas como elas entraram por cima, elas deslocaram o fluido de refrigeração, e concentraram a reatividade no núcleo.
  7. Como a energia estava 100 vezes acima do normal, o combustível no núcleo começou a explodir, rompendo as barras de combustível.
  8. Duas explosões aconteceram, fazendo com que o teto do reator rompesse. Com isso, o ar entrou no reator que era lacrado, colocando em chamas o monóxido de carbono inflamável, causando um incêndio que durou 9 dias.

A maioria dos países que possuem usinas nucleares colocam os reatores dentro de uma concha de concreto, mas esse não foi o caso de Chernobyl. O prédio foi severamente destruído e grande quantidade dos restos da radioatividade escaparam para a atmosfera. Bombeiros escalaram no topo da usina para tentar conter as chamas, helicópteros jogaram areia no prédio e começaram a dominar a radioatividade.  Consequências:

– Esse acidente liberou pelo menos 100 vezes mais radiação do que as bombas lançadas em Hiroshima e Nagasaki.

– 350 mil pessoas se distanciaram da área.

– A contaminação com césio e estrôncio é grande, visto que o solo continuará contaminado por muitos anos.

– O acidente foi tão grande, que encontraram em quase todos os países da Europa resquícios de radioatividade.

Fonte: BBC
Fonte: BBC

Chernobyl hoje é uma cidade fantasma. Um sarcófago foi construído para abrigar a usina, porém ele está quase desmoronando. O que é um problema, uma vez que seu colapso poderia acarretar na liberação de toneladas de lixo radioativo. No momento, se planeja a construção de um novo sarcófago.

 

Comentários

comentários

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA