A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira

http://jordi-simon.com/delo/skolko-stoit-15-kopeek-1940-goda.html сколько стоит 15 копеек 1940 года A escola é o espaço para formar cidadãos e discutir temas como esse que, infelizmente, ainda fazem parte do nosso dia a dia

0
34894

http://gyumolcslekeszites.hu/tech/krasnoe-i-beloe-elets-katalog-tovarov.html красное и белое елец каталог товаров O tema da redação do Enem 2015 foi “A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira”, lembram-se disso?

конкурс это способ определения поставщика при котором A escola é o espaço para formar cidadãos e discutir temas como esse que, infelizmente, ainda fazem parte do nosso dia a dia.

http://alpobot.fr/leon/holod-po-telu-prichini.html холод по телу причины Vamos entender melhor a escolha do tema da redação do ENEM 2015: A Persistência da Violência Contra a Mulher na Sociedade Brasileira.

образовательные организации понятиеи правовой статус Mantendo seu acervo de temas sociais, a redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2015 levou milhões de candidatos a refletirem sobre “A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira”. Além disso, solicitou que, mais do que uma análise sobre a questão, os candidatos deveriam propor uma intervenção, pensando em uma possível solução.

http://www.caprioli-avocats.com/community/tp-20-17-harakteristiki.html тп 20 17 характеристики Andrea Ramal, especialista em educação, aprovou a escolha da temática. “É um tema extremamente relevante para os jovens discutirem, ainda mais considerando que os índices de violência contra a mulher ainda são altos”. A Central de Atendimento à Mulher – o ligue 180 – recebeu, nos seis primeiros meses deste ano, mais de 360 mil ligações (364.627). Uma média de 60 mil (60.771) telefonemas por mês.

каталог сайтов косметики Em todo o ano passado, foram mais de 480 mil (485.105) atendimentos. Este ano, 32 mil registros foram de violência contra a mulher. A metade desses relatos foi sobre violência física. Em seguida aparecem denúncias de violência psicológica, moral, cárcere privado e violência sexual.

магазины автозапчастей статья Em dezembro de 2014, o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) foi a figura principal de uma grande polêmica na Câmara dos Deputados. Bolsonaro respondeu a divergência anterior da colega Maria do Rosário (PT-RS), ex-ministra dos Direitos Humanos, disse que não a estupraria porque ela não merece.

описание районов ростова на дону O deputado federal, Jair Bolsonaro (PP-RJ), foi condenado em primeira instância a indenizar em R$ 10 mil a colega Maria do Rosário (PT-RS) por danos morais, por ter dito que não a estupraria porque ela “não merece”. Em sua defesa, o deputado mencionou a imunidade parlamentar e disse que não causou “danos indenizáveis”. As alegações foram rejeitadas, mas ele pode recorrer da decisão da juíza Tatiana Dias da Silva, da 18ª Vara Cível de Brasília.

сколько дней сидит утка кряква на яйцах Nesse sentido, a lei do feminicídio, sancionada no dia 9 de março pela Presidenta Dilma Rousseff, prevê que casos de violência doméstica e familiar ou menosprezo e discriminação contra a condição de mulher passam a ser vistos como qualificadores do crime. Os homicídios qualificados têm pena que vai de 12 a 30 anos, enquanto os homicídios simples preveem reclusão de 6 a 12 anos.

где взять выписку о прекращении деятельности ооо A lei do feminicídio traz duas importantes mudanças, ou seja, a primeira delas é responder à necessidade de que sejam tomadas providências mais rigorosas em resposta aos altíssimos índices de violência contra as mulheres no Brasil. Em segundo lugar, a lei do feminicídio tem o importante papel de evidenciar a existência de homicídios de mulheres por questões de gênero, uma vez que mulheres são assassinadas em circunstâncias em que os homens não costumam ser.

из скольких цифр состоит номер карты сбербанка

шляпа из картона своими руками Outro aspecto que vale ser lembrado é a iniciativa do Disque Denúncia do Rio que ganhou repercussão nacional com a participação de algumas atrizes. Na campanha, pessoas postam em suas contas na rede social mensagens típicas como “Foi a porta do carro” ou “Foi a quina da mesa”. As mensagens apontam para o clichê de quem apanha e não quer contar, mas aparentemente fica só nisso.

http://karelbeton.ru/leon/krilatie-frazi-na-angliyskom-s-perevodom.html крылатые фразы на английском с переводом O objetivo da campanha é levar o usuário a clicar no histórico de edições da postagem a fim de lerem o restante das mensagens: “É isso que você deve fazer sempre: reparou alguma coisa estranha, procure saber mais. Viu sinais de agressão? Denuncie”. A hashtag #curiosidadeSalva também é uma das marcas da ação.

аметрин свойства камня É como se os candidatos tivessem sido convocados para discutirem uma questão, e uma questão social pertinente como a violência da mulher, já que uma questão da prova de Ciências Humanas do Enem 2015 chamou a atenção de grupos nas redes sociais. A pergunta trouxe a frase de Simone de Beauvoir (“Não se nasce mulher, torna-se mulher”) e é citada em uma questão sobre as lutas feministas da metade do século XX.

A postagem sobre a questão na página “Empodere Duas Mulheres” no Facebook teve mais de 12 mil likes e 3,5 mil compartilhamentos. A criadora da página, Maynara Fanucci, acredita que como Beauvoir é uma das principais teóricas sobre o feminismo, isso ajuda a chamar a atenção para a temática da violência contra a mulher. Demais usuários também teceram comentários sobre a questão no Twitter: “Eu vivi para ver um dia o Exame Nacional do Ensino Médio, ENEM, perguntar sobre Simone de Beauvoir e o feminismo”, comentou a usuária.

A farmacêutica e ativista cearense, Maria da Penha Maia Fernandes, 70 anos, dá nome à lei abordada na prova. Ela comentou que não pensou no número de pessoas que fizeram a prova da redação, mas acredita que é de extrema significância, já que a lei está sendo debatida, conhecida e relembrada na vivência de cada candidato e na escola, porque ao menos aguçou nas pessoas a vontade de conhecer o funcionamento da lei, e compreender a temática proposta.

 

Comentários

comentários

Sem comentários

DEIXE UMA RESPOSTA