21 de Agosto – Nascimento de Machado de Assis

0
428

Machado de Assis (Joaquim Maria Machado de Assis), jornalista, contista, cronista, romancista, poeta e teatrólogo, nasceu no Rio de Janeiro, RJ, em 21 de junho de 1839, e faleceu também no Rio de Janeiro, em 29 de setembro de 1908.

Era mestiço, filho de um mulato carioca, pintor de paredes, e de uma imigrante açoriana que acabou falecendo quando Machado de Assis era criança. Ele, Machado de Assis, era de família humilde, frequentou apenas a escola primaria porque precisou começar a trabalhar desde cedo.

Mesmo sem ter acesso a cursos regulares, empenhou-se em aprender. Em São Cristóvão (RJ) conheceu um forneiro que lhe deu as primeiras aulas de francês. Além da língua francesa, aprendeu inglês e alemão, sempre como autodidata.

Na imprensa oficial, trabalhou como tipógrafo, estreou no mundo da literatura com 15 anos, em 1855, com a publicação do poema “Ela”, na revista Marmota Fluminense. Em 1869, casou-se com Carolina Xavier de Novais com quem viveu até a morte.

Alcançou alta posição social como funcionário público e desfrutou de consideração social. Sua obra foi variada e extensa, dela se destaca o Machado Assis contista e romancista. As suas representativas obras podem ser organizadas em dois grupos: no primeiro grupo estão Ressurreição, Helena, A mão e a luva, Iaiá Garcia, essas obras têm características do romance do século XIX. Sua obra Memórias Póstumas de Brás Cubas marcou o início do segundo grupo de produção, como também o início do realismo no Brasil.

Machado de Assis ajudou a fundar a Academia Brasileira de Letras, ocupou o cargo de presidente da academia até sua morte. É o fundador da cadeira nº. 23 da Academia, seu grande amigo, José de Alencar, foi escolhido para ser seu patrono. Vale ressaltar que a Academia Brasileira de Letras passou a ser chamada também de Casa de Machado de Assis, devido à sua importância

O ano de 2008 foi chamado de Ano Nacional Machado de Assis a fim de aproximar os brasileiros de personagens como Bentinho, Capitu, Brás Cubas e uma infinidade de outros que fazem parte de nossa cultura.

Comentários

comentários

Sem comentários

DEIXE UMA RESPOSTA