10 filmes para estudar história

0
3691
Fonte: arquivo pessoal

Na hora de estudar para o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) e vestibulares, você pode ir além das aulas, livros e apostilas. Estudar através de filmes é mais prazeroso e é também uma forma de dar significado aos diversos e diferentes conteúdos. É necessário vincular os conteúdos a “situações” que façam sentido para que ocorra aprendizagem ao invés de pura memorização.

Na disciplina de História, especialmente no Enem, são cobradas muitas questões que relacionam história com a atualidade. Assim, assistir filmes pode ser um recurso poderoso para a resolução das questões da prova. Pensando nos candidatos do Enem, como também de outros vestibulares, listamos alguns filmes que vão ajudá-los a compreender parte da história mundial e brasileira.

A Lista de Schindler (1993) – Holocausto

O filme nos apresenta Oskar Schindler, um empresário alemão que salvou mais de mil judeus durante o Holocausto ao empregá-los em sua fábrica.

 Ao Sul da Fronteira (2009) – Governos de esquerda na América Latina

O documentário analisa as medidas dos Estados Unidos e do Fundo Monetário Internacional (FMI) para solucionar o problema crônico da desigualdade social na América Latina. A obra sugere que as crises financeiras, como a de 2001 na Argentina, dentre outras, concorreram para a ascensão de líderes socialistas e social-democratas.

Danton, o processo da Revolução (1983) – Pós-revolução francesa

Após a Revolução Francesa, a França viveu uma nova onda de terror. Danton, um dos líderes da revolução, acreditava que o Comitê de Segurança estava promovendo execuções em massa. Ele tentou enfrentar o governo francês para mudar a situação, mas acabou sendo julgado mesmo com o apoio popular.

 Inside Job (2010) – Crise financeira global de 2007-2012

O documentário analisa a desregulação da Islândia, em 2000, e a privatização de seus bancos. Quando o Lehman Brothers (banco com atuação global) quebrou e a AIG (American International Group), maior empresa seguradora dos Estados Unidos da América, entrou em colapso, levando a Islândia e, provavelmente, muitos países do mundo entrarem em uma recessão financeira.

“Lamarca” (1994) – Ditadura Militar no Brasil

Carlos Lamarca abandonou sua carreira militar para lutar contra a ditadura. Tornou-se comandante de grandes ações terroristas e conflitos contra as forças militares.

Fonte: http://www.gazetaam.com/
Fonte: http://www.gazetaam.com/

“Missing – Desaparecido” (1992) – Ditadura Militar no Chile

Charles Horman era um jovem escritor e jornalista estadunidense que publicava textos considerados subversivos. Ele foi levado para ser interrogado durante o golpe de estado, liderado pelo então comandante das Forças Armadas chilenas, general Augusto Pinochet. Charles não voltou para casa, então, sua família resolveu buscar apoio de órgãos governamentais tanto estadunidenses quanto chilenos, mas o que deveria ser um ponto de apoio se tornou uma grande barreira.

“Missippi em Chamas” (1988) – Racismo nos Estados Unidos da América na década de 1960

Dois investigadores da Agência Federal de Investigação de Mississippi buscavam pistas para solucionar o desaparecimento de três militantes dos direitos civis. As vítimas moravam em uma pequena cidade marcada pela constante violência contra os negros.

“Olga” (2004) – Presidente Vargas

Olga Benário foi uma militante comunista que fugiu para Moscou a fim de escapar da polícia. Em Moscou, recebeu treinamento militar e ficou encarregada de voltar para o Brasil com Carlos Prestes para liderar a Intentona Comunista de 1935. A Intentona Comunista foi uma tentativa de golpe contra o governo de Getúlio Vargas.

O Nome da Rosa (1986) – Idade Média

Entre os séculos XII e XIII, época em que se passa o filme (1327), ocorreu o surgimento da escolástica que significa o saber da escola, ou seja, o saber que está apoiado em estudos teóricos e em comprovações. A escolástica era o nível mais alto de saber científico daquela época. A influência desse saber correspondia ao pensamento de Aristóteles. Os árabes (mulçumanos) traduziram muitos escritos de Aristóteles para o latim. Essas obras continham saberes filosóficos e científicos que serviram de base para diversas inovações científicas.

“Sonhos Tropicais” (2001) – Revolta da vacina.

Oswaldo Cruz, retornou ao país após anos de estudo na Europa. Assumiu o comando do Instituto Soropédico de Manguinhos, onde desenvolveu pesquisas para a cura de doenças como a peste e a febre amarela.  Na tentativa de extinguir a varíola, propôs que maiores de 6 meses fossem obrigados a serem vacinados e acabou desencadeando a Revolta da Vacina.

 

 

Comentários

comentários

Sem comentários

DEIXE UMA RESPOSTA