Top 10 Atualidades para o ENEM 2015

O professor Orlando Stiebler preparou duas aulas em Outubro para relembrar os top 10 acontecimentos do ano para o ENEM2015.

0
4547

Estar por dentro dos últimos acontecimentos é fundamental para o ENEM. Ao longo do ano, o professor Orlando Stiebler separou temas importantes para explicar melhor para vocês a importância e consequência destes acontecimentos. Agora, na reta final para a prova, Orlando separou os top 10 temas de Atualidades para abordar em duas aulas. A primeira rola no dia 01 de outubro às 20 horas, saiba mais e confirme sua presença: http://bit.ly/EsquentaAtualidades

Já a segunda, rola no dia 20 de outubro, terça-feira, às 20 horas. Para saber mais, acesse: http://bit.ly/EsquentaAtualidadesII

Saiba um pouco mais dos 5 temos que serão abordados na primeira aula:

A Crise Migratória:

Nos últimos meses de 2015 nos deparamos com o grande fluxo de travessias de refugiados pelo Mar Mediterrâneo em direção à Europa. Barcos superlotados cortam o Mediterrâneo levando, aos montes, cidadãos da Síria, Afeganistão, Eritréia, Senegal, Mali, Guiné e Gâmbia para países do continente europeu em busca de uma vida melhor, mas nem sempre chegam à terra firme. Segundo as estatísticas, mais de 2.500 pessoas morreram afogadas nessa travessia, um dos casos mais famosos é o do menino Sírio que foi encontrado morto em uma praia turca depois do naufrágio do barco onde estava com a família.Crise Migratória _ Alexandre Rotenberg  Shutterstock.com

Conhecidos quase universalmente como Refugiados, eles aumentaram o fluxo migratório principalmente pelo crescente número de conflitos internos em países da África e do Oriente Médio.

Crise Grega:

Começando em 2008 junto da crise de outros países europeus e a estreia da crise americana, a crise na Grécia ganhou face própria em 2009 quando chegou à mídia que o país maquiava suas contas públicas e que sua dívida era muito maior do que o aparente. Sem dinheiro e sem crédito, o país foi obrigado a recorrer à União Europeia e ao Fundo Mundial Internacional (FMI) sofrendo cortes de gastos e reformas econômicas, assim como demissões, alta de impostos e redução de salários e pensões. Essas medidas deram início aos protestos e greves.Crise-Grega-_-Yiorgos-GR-Shutterstock.com_-1024x683

Encolhendo 25% da economia nos últimos cinco anos, mesmo com o aumento de 0,8% em 2014 não foi o suficiente para evitar a queda dos preços de 1,4% no país. Devendo € 320 bilhões, ou 177% do PIB, além do não pagamento de € 1,6 bilhão ao FMI, a Grécia ainda precisa pagar ao BCE € 6,7 bilhões que vence em Julho e Agosto.

No dia 05 de Julho, os gregos votaram “não” no plebiscito realizado para apurar a proposta feita pelos credores que faziam exigências desde o aumento dos impostos à reforma no sistema de Previdência para que liberassem um empréstimo de € 7,2 bilhões. No dia 09, entretanto, o governo surgiu com uma proposta similar à dos credores contradizendo o plebiscito. Quatro dias depois, a Grécia fechou um acordo ainda mais rígido com os líderes da zona do euro por um terceiro pacote de empréstimo de três anos e de valor de € 82 a € 86 bilhões, permitindo sua permanência na zona europeia, além do comprometimento da Comissão para trabalhar pela mobilização de até € 35 bilhões via programas da União Europeia para financiar investimentos no país.

Violência Racial nos EUA

A questão da violência e da desigualdade racial nos EUA é um tema de longa data, muito recorrente e por vezes encoberto da mídia internacional. Porém fatos como o assassinato do jovem negro de 16 anos, Trayvon Martin, em 2012, e o assassinato cometido por um policial do Missouri a sangue frio com seis tiros a outro jovem negro de 18 anos, em 2014, Michael Brown trouxeram à mídia internacional a devida e merecida atenção para um tema de tamanha importância global.

O acontecimento de Ferguson nos suscita três temas, o racismo, a militarização da polícia estadunidense e a crescente desigualdade social. O fato de isto não ser visto em programas de grande audiência tem a ver com a certa aversão da mídia estadunidense por assuntos como desigualdades sociais e diferenças de classe, pois isto vai contra o mito do sonho americano. É também por causa dessa realidade de silêncio quanto ao empobrecimento do país e sumiço de sua classe média que o artigo do astro do basquete Karrem Abdul-Jabbar, na revista Time, no qual ele coloca a questão social e de classe acima inclusive da racial na análise sobre Ferguson, ganhou tanta projeção.violencia racial zh

Não muito deste tipo de violência racial estão os latino-americanos. O governo Obama tem sido mais duro com os imigrantes do que o próprio governo Bush, o que seria impensável nas eleições de 2008. O problema grave da migração de crianças oriundas da América Central põe à prova o respeito do governo Obama pelos direitos humanos.

BRICS

Sigla criada em 2001 originalmente chamada BRIC, ganhou seu S em 2011, quando a África do Sul entrou no grupo de países emergentes.

brics bbcDentre os encontros da organização, o encontro que aconteceu em Fortaleza, no Ceará, depois da Copa do Mundo trouxe duas criações de suma importância para os países emergentes que podem ser consideradas como acertos para os países: O NBD, Novo Banco de Desenvolvimento que que financiará obras de infraestrutura em países pobres e em desenvolvimento, embora o projeto ainda precise ser ratificado pelo Legislativo de alguns países; e o ACR, Arranjo de Contingente de Reservas, uma espécie de  fundo para socorrer membros dos BRICS que tenham graves desequilíbrios em suas balanças de pagamentos ou estejam à beira de um calote.

Estado Islâmico:

estado islamicoDesde o início de sua ofensiva, o grupo jihadista Estado Islâmico avançou de forma exponencial. Defendendo ideais como o ódio aos xiitas, às minorias, aos Estados Unidos e, menor grau, à Europa. Beneficiado pela fraqueza e sectarismo do Estado iraquiano e pela guerra civil síria, os radicais ganharam reforços e conquistaram novos territórios, propagam o terror através da dizimação de minorias étnicas e chocaram o mundo com a execução de vítimas inocentes, tendo algumas delas filmadas e “viralizadas” na internet. Hoje, lideranças mundiais debatem sobre uma possível união contra esse grupo que cresce cada vez mais forte e violento, recrutando sempre jovens desiludidos e descontentes com vários países do mundo e que veem o grupo como uma poderosa fonte de vitória e salvação.

Confira todos os 10 temas:

Comentários

comentários

Sem comentários

DEIXE UMA RESPOSTA