Palavras: Passando a limpo

O uso correto de palavras e expressões para garantir uma redação nota mil.

0
1452
palavras

– Onde vc vai hj?

– Ñ sei, pq?

– Pq pensei em sair, mais ñ sei…

Você consegue identificar os erros no diálogo acima (ou a cima?!)? Se você acha que o problema está nas palavras abreviadas, olhe novamente. É verdade que, com a comunicação por mensagens de texto, esse tipo de linguagem tornou-se comum nos “whatapps da vida”. E, claro, você sabe que em textos formais e avaliações, como a redação do Enem, a produção textual deve seguir a norma culta. Mas não são esses os erros de que estamos falando.

Se você ainda não percebeu, fique tranquilo porque a Dica de Estudos de hoje é para esclarecer a respeito dessas palavras e expressões que volta e meia causam dúvidas sobre o uso. O QG explica o emprego correto delas, além de elencar quais são os erros mais comuns dos estudantes nas redações do Enem.

Em relação à ortografia, lembre-se que o novo acordo só será obrigatório a partir de 2016. Assim, você pode optar se escreve em consonância com as normas antigas ou conforme a reforma ortográfica. Só não deve utilizar as duas formas, uma vez que o avaliador pode entender essa ‘mistura’ como falta de domínio das regras de ortografia. Vamos as dicas:

ONDE / AONDE

1) “Aonde” indica ideia de movimento ou aproximação. Opõe-se a “donde”, que exprime afastamento. Veja nos exemplos que a forma “aonde” costuma referir-se a verbos de movimento:

  • Aonde você vai?
  • Aonde querem chegar com essas atitudes?
  • Aonde devo dirigir-me para obter esclarecimentos?
  • Não sei aonde

2) “Onde” indica lugar em que se está ou em que se passa algum fato. Normalmente, refere-se a verbos que exprimem estado ou permanência. Observe:

  • Onde você está?
  • Onde você vai ficar nas próximas férias?
  • Não sei onde começar a procurar.


MAS / MAIS

1) “Mas” é uma conjunção adversativa, equivalendo a “porém”, “contudo”, “entretanto”. Observe os exemplos:

  • Tentou, mas não conseguiu.
  • O país parece ser viável, mas não consegue sair do subdesenvolvimento.

2) “Mais” é pronome ou advérbio de intensidade, opondo-se normalmente a “menos”. Veja os exemplos:

  • Ele foi quem mais tentou; ainda assim, não conseguiu.
  • É um dos países mais miseráveis do planeta.

SENÃO / SE NÃO

1) “Senão” equivale a “caso contrário” ou “a não ser”. Veja:

  • É bom que ele chegue a tempo, senão não haverá como ajudá-lo.
  • Não fazia coisa alguma senão

“Senão” também pode ser usado como substantivo na acepção de “defeito, mácula”. Veja:

  • Aquele processo apresentava muitos senões.

2) “Se não” surge em orações condicionais. Equivale a “caso não”. Observe:

  • Se não houver seriedade, o país não sairá da situação melancólica em que se encontra.

ACERCA DE / HÁ CERCA DE / A CERCA DE

1) “Acerca de” significa “sobre”, “a respeito de”. Veja:

  • Haverá uma palestra acerca das consequências das queimadas sobre a temperatura ambiente.

2) “Há cerca de” indica um período aproximado de tempo já transcorrido. Observe:

  • Os primeiros colonizadores surgiram há cerca de quinhentos anos.

3) Já a expressão “a cerca de” significa “aproximadamente.” Veja:

  • Minha casa fica a cerca de cem metros da praia.

DEMAIS / DE MAIS

1) “Demais” é advérbio de intensidade, equivalendo a “muito”. Pode ser também pronome indefinido, significando “os outros”, “os restantes”. Veja:

  • Eles se amam demais.
  • Levantamo-nos e saímos, os dois; os demais continuaram jogando.

2) “De mais” é locução prepositiva. Tem valor oposto a “de menos”. É empregada ao lado de substantivos ou pronomes substantivos. Observe:

  • Nunca tive dinheiro de mais.
  • Não haviam feito nada de mais.

 

Observação: No início da matéria, os erros a que nos referimos foram as palavras “Onde” (o correto é “aonde”) e “mais” (o certo é “mas”). 

 

palavras

Comentários

comentários

Sem comentários